Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Cartas a Sara – Palavras 10/02/2015

Filed under: cartas da jacky — jacky @ 8:35 pm
Tags: ,

 Sara,

Às vezes, é difícil ser-se professora de Português/Francês, quando os alunos não gostam ou dizem que não serve para nada. A verdade é que todas as disciplinas que aprendem na escola são importantes e, mais tarde ou mais cedo, vão perceber que uso lhe hão-de dar.
O Francês é das mais belas línguas do mundo, é o idioma da elegância e da diplomacia. A falar francês nunca se abre muito a boca nem se cospe as palavras porque tem uma cadência leve e delicada. Quem sabe apreciar o Belo, gosta desta língua. O Francês é falado em muitos países do mundo e é a língua oficial da Tour Eiffel, o momnumento mais visitado do mundo. É falado em Paris, a capital do amor, da moda, da gastronomia e da literatura. É verdade que tem muitos verbos e muita gramática, mas isso é a culpa de quem faz os programas e não da língua em si.
Quanto ao Português, é a nossa língua. Pensamos com palavras e não com números. Comunicamos com frases e não com fórmulas. Damos voz às nossas emoções e aos nossos sentimentos com as palavras. Damos sentido à nossa vida e reconstituimos a nossa história pessoal com as nossas narrativas próprias.
É com o Português que aprendemos desde que nascemos, dando sentido ao caos, traduzindo as nossas memórias e experiências, não só em sentires mas principalmente em palavras. Pode ser usado para o bem, para curar, para apaziguar, para proteger, para reconfortar e para amar, mas também pode ser usado para o mal, para ferir, para enfurecer, para violentar, para manipular e para odiar.
A palavra é o que nos distingue dos animais e das plantas, porque dá-nos o poder de pensar, de criar, de imaginar, de inventar, de EXISTIR diferente dos outros. Quanto mais palavras conheceres, melhor compreenderás o mundo e o que te rodeia. Quanto mais compreenderes, mais competente te tornarás.
Os que pensam que a língua não é importante para a sua formação é como querer ser daltónico, ver apenas a realidade a preto e branco e em vários tons de cinzento. É desperdiçar todos os tons do arco-íris para contemplar o Belo existente no mundo.
Talvez seja por todos esses motivos que adoro ser professora de Português/Francês, porque contribuo para a formação do ser humano na sua essência e na sua totalidade, dando-lhe o poder da sua vida ser excepcional!

Filha, continua a amar as palavras como tens feito, porque elas são as pontes que te irão levar para outros mundos, outras realidade e para as outras pessoas. Usa-as sempre com carinho como se fossem carícias e evita as que ferem como punhais porque as palavras ficam guardadas nos recantos da memória e raramente são esquecidas.

Adoro-te!
10-02-2015

Jacqueline Lima

 

14 anos de ti 03/07/2010

Filed under: cartas da jacky,família — jacky @ 2:42 am

Mário,

Há 14 anos estava ainda grávida de ti. Foste um bebé muito desejado e acarinhado ainda na barriga, por mim e pelo teu pai. Tive uma gravidez doce, passeei a minha barriga serenamente, mas eras tão grande que tinhas de nascer antes do tempo. E foi um dia depois do aniversário do teu avô Lima. Foi um parto difícil, doloroso e solitário e fiquei em estado de choque durante algumas horas. Despertei com o teu cheiro bom a bebé 🙂

Adoro ser tua mãe e não há ninguém no mundo que te ame mais que eu! E a seguir a mim, não há quem te ame mais que o teu pai porque és o nosso primogénito muito desejado e acarinhado. Nunca te esqueças disso!

Ser mãe de um adolescente de 13 anos não foi fácil. Foi um ano em que brigámos muito para estudares, fazeres os trabalhos, arrumares as tuas coisas, jogares menos, e tanta coisa mais que agora não importa. Sei que certos dias deves achar que sou uma chata e que não quero que sejas feliz pois não te deixo fazer o que te apetece no momento: jogar, deitar tarde, comer o que te apetece… Sei que sou chata sim, mas esse é o meu papel! Seria muito mais fácil e menos desgastante para nós dois deixar-te andar, nunca te ralhar e deixar-te fazer o que te desse na real gana. Sim, seria mais fácil, mas não faria de mim uma boa mãe…

Não sou só a mãe das repreensões e dos castigos, também sou a mãe que para te ver sorrir, aprendeu a montar barcos piratas da playmobil, peões dos beyblade, decorou os 101 pokemons, se levantava às 7 da manhã para te gravar os teletubbies, que via o buéréré e cantava a canção do macaco hadriano, que viu contigo os morangos com açúcar e foi ao concerto dos dzr’t, que concorreu a um concurso da concentra por ti e ganhou bilhetes para ir ver o wrestling a Lisboa ao Pavilhão Atlântico e que esteve horas na fila na worten do colombo para teres um autógrafo do Batista , que viu filmes de animação dezenas e dezenas e dezenas vezes no vídeo como o dinossauro solitário, que foi contigo ao cinema, que enchia repetidamente a tua piscina de bolas, que jogava contigo à bola (e com os miúdos do prédio) no relvado junto à nossa casa, que juntava pão para irmos dar aos patos no parque da cidade, que te ensinou a dançar a ver o dirty dancing, que montou gruas e pistas de comboio, que te foi levar e buscar à escola, que andou no karaté contigo na filarmónica, que cuidou de todo o tipo de animais como pássaros, peixes, hámsteres, coelhos e cães e ouviu músicas maravilhosas como estou nem aí, babe, e outras coisas do género, que sabe que COD é a sigla de um jogo da Playstation 3, que fez corridas contigo no Mário Kart, que conversa contigo nas viagens de carro, mesmo quando estás com aquela cara de rapaz a quem todos devem dinheiro, que cuida de uma quinta no facebook e de um zoo virtual por ti!

A partir de hoje, vou ser a mãe de um adolescente de 14 anos e espero que seja um ano muito mais positivo que o que passou porque não gosto de estar sempre a castigar-te nem que estejas zangado comigo.

Há 14 anos, estavas quase a nascer e a minha vida estava prestes a mudar para sempre…

Adoro-te, filho, diverte-te muito!

Tua mummy

Jacky (03.07.2010)

 

Sara… 20/06/2010

Filed under: cartas da jacky,família — jacky @ 1:36 am

Minha filha,

Se, por algum motivo deixar de fazer parte da tua vida, antes de fazeres 6 anos, não terás recordações minhas. Há pessoas que têm lembranças da sua infância anteriores aos seis anos, mas são excepção. Pensar nisso, não me impede de ser feliz contigo, pelo contrário, absorvo todos esses pequenos momentos que passamos juntas com todo o meu ser.

Gosto de te ver a andar à minha frente tão pequenita, de ver os teus caracóis a esvoaçarem ao vento. Gosto de te ver a dar muitos saltinhos seguidos e rir por não ter caído. Gosto de te levar às compras, de te ver a meter os dedos no meio das cerejas e de me ajudar a meter as batatas dentro do saco. Gosto de andar contigo ao colo só para poder abraçar-te, mesmo sabendo que me ficam a doer as costas. Gosto de te ouvir palrar e de tentar reconhecer as palavras que me queres dizer. Gosto quando chamas por mim depois de te teres magoado ou caído e pedir um colinho. Gosto de te ver beber água num copo à crescida mesmo se te molhas. Gosto quando roubas o meu garfo para poder picar bocadinhos de comida do meu prato. Gosto de tudo em ti, mesmo se muitas vezes os dentes a nascer te deixam adoentada e rabugenta.

Gosto tanto de ti, minha filha, e espero viver o suficiente para te poderes lembrar do quanto eu gosto de ti!

A tua mamã

(20.06.2010)

 

Carta a uma amiga lamentadora 28/04/2010

Filed under: cartas da jacky,generalidades — jacky @ 2:41 pm

Boa tarde,

(Para ti, nunca será boa, já sei)

Sabes que gosto muito de ti, que te acho excelente e que tens muitas qualidades? É verdade, por isso, não compreendo porque te estás sempre a lamentar. Não há um dia em que não te queixes ou porque te dói alguma coisa, ou porque as tuas colegas de trabalho não fazem nada e te chateiam a cabeça, ou porque está mau tempo, ou porque a vida está cara, ou porque alguém não foi simpático contigo ou porque estás doente….

Sabes que existe um muro de lamentações para onde as pessoas vão chorar as suas mágoas? Pois para ti, esse muro é uma migalhinha no universo, para ti, só mesmo a muralha da China que se vê da lua e mesmo assim…

Sabes que quanto mais te queixas menos as pessoas te ouvem? Sabes que as outras pessoas também têm dores, problemas, falta de dinheiro e de carinho, falta de atenção e ficam doentes? Estás a imaginar se fôssemos todos como tu e nos estivéssemos sempre a queixar? O mundo simplesmente parava!

Sabes, se queres que te prestem atenção, tens que começar a usar duas vezes mais a tua audição para escutar os outros e pensares menos nas tuas dores e problemas. Sabes que aquelas pessoas cheias de energia que secretamente invejas também têm dias em que lhes apetece mandar tudo àquela parte e desaparecerem do mapa? Sabes que também dias em que se enchem de serem locomotivas, de puxarem as carruagens de todos os dias e ficarem paradas sem fazerem um caracol? Sim, têm esses dias mas pouco tempo depois lembram-se de tudo o que têm de bom na sua vida e voltam a rolar e a puxar carruagens como tu com redobrada energia!

Se queres que as pessoas te ouçam e te ajudem, tens de te cingir ao que é importante e prioritário. Se queres que uma locomotiva amiga te puxe, tens de parar de te sobrecarregar de peso negativo senão não há quem te puxe! Pensa em tudo que tens, no que és e vais ver que vale a pena viver e ser feliz. Levanta-te de manhã, refresca-te, olha para o sol, repara nas flores do teu caminho! Já viste que respiras, que podes saborear o gosto de um chocolate quente ou o frio de um sorvete de limão? Já viste que podes usar as duas mãos para acariciar, criar, acenar, brincar e andar com as tuas duas pernas para onde quiseres?

Sabes que gosto de ti? Mas tens de parar de te lamentar, senão, um dia, quando estiveres mesmo mal, não haverá mesmo ninguém para te ouvir…

Um beijinho

Jacky

(28.04.2010)

 

Carta às minhas saudades de ti 11/01/2010

Filed under: cartas da jacky — jacky @ 6:31 pm

Tenho-me lembrado muitas vezes de ti e tenho saudades de estar contigo, como se pudesse sorver um pouco da tua sabedoria só por estar por perto…

Tenho-me lembrado de ti, do quanto foste importante para manter a minha sanidade mental em tempos conturbados…

Tenho-me lembrado de ti, dos conselhos que me davas e que muitas vezes não segui.

Tenho-me lembrado de ti, de me dizeres que eu era ingénua e que as pessoas não eram o que pareciam, que devia ver os sinais.

Tenho-me lembrado de ti, de afirmares que certas pessoas que gravitavam à minha volta me iam desiludir e eu nunca quis saber pois gostava de acreditar que as pessoas são boas, generosas e bem-intencionadas…

Tenho-me lembrado de ti, porque tinhas razão.

Tenho-me lembrado de ti, porque admiravas em mim uma pessoa que fui e já não sou. A minha criatividade já só se vê em pequenos artefactos. Estagnei, sim, vivo embevecida à volta daquele pequeno ser de 15 meses que saiu de mim e preocupada com o ser de 13 anos em conflito com a idade e o mundo.

Tenho-me lembrado de ti e tenho saudades dos fins de tarde junto à praia.

Tenho-me lembrado de ti e anseio que onde quer que estejas, sejas muito feliz.

Um beijinho

Jacky

(11.01.2010)

 

Carta à minha lilucha 03/09/2009

Filed under: cartas da jacky — jacky @ 2:51 pm

lilucha

Lilucha,

Assim te rebaptizei porque és tão queriducha que soa melhor que Liliana ou Lije.

Sabias que já te conhecia antes de aparecer no flickr? Sim, já tinha visto o quanto eras prendada no blogue da Gotinha, quando lhe enviaste uns presentes para os seus filhotes. Quando te reencontrei no flickr fiquei contente por poder seguir as tuas criações. Fomos nos cruzando aqui e ali até que trocámos mimos em grupos do flickr mas ainda sem termos grande contacto. Depois, quem nos aproximou foi o Rafa. O nosso amor pos esses tolos de quatro patas fez com que começássemos a falar disto e daquilo e fomos construindo essa amizade de forma progressiva e sólida.

Sabias que tens exactamente a idade da minha sobrinha? Ambas nasceram em 1980 e ambas tiraram o mesmo curso. Dizem que santos da casa não fazem milagres e é bem verdade. Cheguei a mostrar algumas das minhas histórias à minha família e pronto… Contigo foi diferente. De repente, ficámos unidas por algo de muito importante: um projecto em comum. Mais que um projecto, é um anseio, uma aspiração, um desejo que há muito quero concretizar mas nunca houve um clique para que tal acontecesse. E assim, sem contar, deste-me o empurrão para realizar esse sonho.

Sabias que temos muito mais em comum do que apenas os nossos peludos amalucados? Temos a empatia, o gosto pela vida e pelas cores, os sapatos rasos abonecados, os caracóis soltos, a criatividade e o amor pelas coisas belas. Além disso, ainda és elegante, tens classe, és inteligente, és linda… Os homens deste mundo andam ceguinhos, ou quê? 😀

Lilucha, neste momento, fazes parte integrante da minha vida, mais que uma amiga, mais que uma sobrinha, és a outra metade do meu sonho quase real. Obrigada…

Jacky (03.09.2009)

 

Carta aos meus invejosos de estimação 03/08/2009

Filed under: cartas da jacky — jacky @ 7:53 pm

Queridos invejosos de estimação,

Aprendi há muitos anos com o meu pai que há quem diga mal de nós e que nos queira mal, mas que isso é bom sinal, quer dizer que existimos e que estamos bem. Fui absorvendo essa filosofia com o tempo e a verdade é que o meu pai é que sabe viver a vida: o caminho é sempre em frente e não vale a pena permanecer em vales de lágrimas. Nem sempre fui capaz de o fazer, houve momentos da minha vida em que fiquei parada em caminhos que pareciam becos sem saída e houve alturas em que me entristeci com a maldicência e o desejar nocivo dos invejosos.

Mas agora não. Podem falar o que quiserem, podem invejar tudo o que quiserem: a vida que pensam que eu levo, as riquezas que imaginam que eu tenho, tudo o que vos apetecer que isso já não me afecta. Podem agir de forma a magoarem-me, podem ignorar-me, podem até empinar o nariz, virarem-me as costas, que não vai adiantar nada. E porquê?

Descobri o elixir da felicidade. Tenho em casa os sorrisos mais lindos do mundo, o sentido de humor mais hilariante, os abraços mais fofinhos do mundo e isso faz com que tudo passe, nada permaneça, a não ser todo esse amor que transborda de mim para eles…

Xauzinho, invejosos, cultivem antes os sorrisos e talvez aprendam que só a energia positiva faz avançar o mundo!

jacky

(03.08.2009)