Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Dia da mãe? 01/05/2011

Filed under: amor — jacky @ 10:44 am

O dia da mãe foi durante muitos anos no dia 8 de Dezembro. Foi alterado apenas porque não havia nenhuma festa onde se pudesse gastar dinheiro em Maio, então mudaram para o primeiro Domingo de Maio!!! É mais um apelo ao consumismo!

Ontem no corte inglês estava uma tia toda irritada porque num prédio com 10 andares recheado de coisas não encontrou NADA para dar à mãe! Nada??? E se se deixassem dessas cenas? O dia da mãe é todos os dias, é telefonar para dar um beijinho…, é ter paciência quando são chatas; é ajudá-las no que for preciso quando podemos. É estar com elas, dar-lhes uma flor que encontramos no caminho, um beijinho…
Eu não quero prendas, eu quero é uma beijoca repenicada da Sara e um abraço amalucado do Mário e para mim chega! E nos outros dias, quero que sejam uns melhores seres humanos porque sou mãe deles e lhes incuti valores. Isso sim faz dos dias o dia da mãe!

Não sou a melhor mãe do mundo. Esqueço-me de impor horários, não passo os meus dias a namorar a comida para dar manjares diferentes todos os dias, nem sempre a T-shirt preferida está passada a ferro a horas. Às vezes enervo-me, grito, bato com a porta e vou arejar para me acalmar. Não reparo que estão com a boca suja ou que estão na fase de não tomarem banho há dias. Não vejo os pequenos pormenores. Nem sempre dou o meu melhor porque tenho dias maus, em que a enxaqueca me derruba e só me aguento em pé à custa de comprimidos. Não sou muito paciente. Por isso, admito que não sou a melhor mãe do mundo nem pretendo sê-lo. Espero que estas minhas fragilidades ensinem aos meus filhos que sou humana e com defeitos mas que tento todos os dias superá-los. Talvez assim possa vir a ser um modelo para eles.

Anúncios
 

Ferros futuros? 25/03/2011

Filed under: amor — jacky @ 2:07 pm

Tenho um vizinho que era mau como as cobras. Passava o tempo e gritar aos miúdos, a insultar as pessoas que passavam perto da sua janela, que segundo ele era propriedade dele, batia na mulher já muito idosa, não sendo ele nenhum jovem. Há uns meses, saltou a tampa a alguém e foi um arraial de porrada!
Esteve mais de um mês no hospital. A mulher dele teve de ser internada num lar. Voltou há dias, de muletas, calado, menos irritadiço, muito mais humano. A vizinhança ajuda-o no que pode, se for preciso, mesmo nem sempre tendo sido bem trata…da…
Dizem que: «Quem com ferros mata, com ferros morre», no caso dele, parece que estava a precisar de retribuição para se acalmar.
A verdade é que tudo o que dizemos e fazemos tem repercussões no futuro. Também é verdade que há muita gente que é generosa, amiga, altruísta e parece que a vida é-lhes sempre madrasta. Contudo, quem semeia amor, tem muito mais probabilidades de recolher amor em vez de ódio.
Vale a pena pensar nisto 😉

 

considerandos sobre o amor (80) 21/09/2009

Filed under: amor,considerandos sobre o amor — jacky @ 2:17 pm

por-do-sol

Saborear os afectos

Hoje, em dia, qualquer pessoa que se preze anda com a cabeça cheia de coisas a fazer, projectos por concretizar, castelos no ar, sonhos inacabados e vivemos sempre a correr, nem sempre à velocidade da nossa mente. É como se a cabeça fosse um enorme flipper e uma bola de metal estivesse sempre a chocalhar contra as nossas listas de coisas por fazer e a tilintar. Tlim tlim! De vez em quando, lá conseguimos acabar algo e plim, pontuação máxima! Às vezes, dá direito a bolas extras e a mais listas…

O problema é nos viciamos nesse stresse permanente. Queremos sempre mais. Ainda não acabamos de fazer algo e já temos a mente coupada nas duas ou três coisas a seguir… Não somos capazes de parar… Entretanto, dois olhinhos fixam o nosso rosto, à espera de um sorriso, de uma palavra de encorajamento e nós nem os vemos. Vemos além do rosto dos nossos filhos, como se as letras das coisas por fazer se sobrepusessem tal ecran de computador em excel…

Porque nos esquecemos de saborear os afectos? É tão bom não fazer nada junto aos filhos, pois fazer nada e estar com eles a fazer o melhor que há no mundo que é fruir o tempo deles, que passa tão depressa… Gosto de estar sem fazer nada com a Sara: cantar-lhe uma canção tradicional, vê-la a brincar com os seus deditos nos seus objectos, de sentir a sua mãozinha apoiada na minha perna quando me sento no chão à beira dela, de a encorajar quando está de pé sem apoio, de a ver tentar agarrar a colher para comer sozinha. Gosto de me deitar na cama do Mário à noite e ficar assim abraçada até ouvir a sua respiração tranquila, de o ouvir falar quando dorme. Gosto de me sentar à beira dele e vê-lo jogar um jogo qualquer, de ver as suas proezas e ajudá-lo nas suas dificuldades em ultrapassar determinado nível. Gosto de lhe telefonar a meio do dia só para lhe dizer que gosto dele…

Saborear os afectos, afinal, é tão simples. Não é preciso comprar nada. Basta ter tempo para não se fazer nada e fruir a presença de quem se ama.

Jacky (21.09.2009)

 

Considerandos sobre o amor (79) 21/08/2009

Filed under: amor,considerandos sobre o amor — jacky @ 12:32 am

gordos
Amor e Preconceito

O preconceito, como o nome indica, é ter uma ideia sobre algo sem mesmo conhecer ou saber para formar uma ideia. Infelizmente, o preconceito é algo que faz o mundo abrandar e, muitas vezes, até regredir.

Um preconceito que anda muito em voga é aquele que se aplica aos gordos. Hoje em dia, os gordos são mal vistos (e nem sequer estou a falar dos obesos, estou a referir-me a pessoas perfeitamente normais mas com uns quilos a mais segundo os padrões de hoje). Sim, porque se forem a ver as pinturas da Idade Média, as mulheres que eram consideradas belas e eram retratadas pelos grandes pintores, eram GORDAS. Retrocedendo um pouco mais, as primeiras esculturas de mulheres são mulheres cheias, com grandes peitos e muitas vezes grávidas.

Entretanto, o conceito de beleza foi-se alterando e agora as mulheres belas são mulheres muito magras (porque sim, quem é que usa tamanho 30 ou 32?) quase sem formas. A televisão e as revistas vão impingindo ao pessoal estas imagens e vamos encaixando que, para sermos belas, temos de lutar contra a nossa própria natureza, passar fome e deixarmos de ter formas corporais para sermos paus de virar tripas.

Quanto aos homens, ou são musculosos como os actores de cinema, ou então devem ser magros, senão ninguém os quer. Um homem com gordura a mais, barriga proeminente, tem ar de desmazelado, de encher a cara de cerveja todos os dias ou de se babar para cima de bolos todos os dias. Têm de ser metrossexuais, depilar os pêlos do peito ou outras tretas que a moda vigente ditar…

Estou farta desse preconceito, de ver homens e mulheres deprimidos porque ninguém os quer devido aos quilos a mais. Assim sendo, os gordos nunca namoravam nem casavam! O problema para mim tem mais a ver com auto-estima e menos com formas corporais, balanças e dietas. Quem diz que um gordo solitário, se fizer dieta e ficar com um corpo «desejável» vai ser mais feliz por isso? E ter mais oportunidades de seduzir alguém?

Há tantos gordos famosos bem na sua pele! O José Carlos Malato, comunicador fantástico; Fernando Mendes, recordista de audiências; Lutadores de sumo, que no Japão são considerados os homens mais desejáveis do país; Jô Soares, um humorista excelente; Garfield, o gato mais amado da BD; o Pai Natal, a quem até se deixa leite com bolachinhas, o gordo mais amado do mundo; e muitos mais que agora não estou a recordar…

E esta prosa deve-se a quê? É que estive a ver o campeonato mundial de atletismo na eurosport e uma das disciplinas de hoje era lançamento do martelo. Se vissem as atletas… algumas eram bem gordas, até com banhas, mas atiravam o martelo a mais de 70 metros!!! E são as melhores do mundo com medalhas!!! Mas se víssemos uma dela na rua, vestida normalmente, sem o fato desportivo e a medalha, o que é que íamos pensar? – Ena pá, que gorda, aquela precisava de fazer dieta, deve ser só enfardar, que ganda lontra! E no fundo, os que enfardam preconceitos somos nós… Quem me dera estar no lugar de uma delas, ter uma medalha de ouro no peito e ouvir o hino do meu país em frente a milhares de pessoas num estádio….

Jacky (21.08.2009)

 

O que tem o teu nome de sexy? 23/03/2009

Filed under: amor,testes — jacky @ 2:16 pm

Este teste vai especialmente dedicado à São!


You Are Exotic Sexy


You are sexy because you are wild. You are a very sexually daring person.

You are very into trying new and edgy things. You love taboos.

You are a sexual dabbler. You like to take on unusual fantasies and roles.

Anyone who wants to be your partner better be extremely open minded!

You consider yourself a sex expert, and you love to give your friends advice.

You feel like it’s your personal mission to make everyone a little more sexually liberated.

 

massagens a bebés 20/01/2009

Filed under: amor,família — jacky @ 8:54 pm
Tags: ,

Descobri este video sobre massagens a bebés quando pesquisava ginástica pós-parto. Achei-o tão encantador que decidi partilhá-lo contigo. E tu, és fã de massagens?

 

Chupeta 16/10/2008

Filed under: amor,família — jacky @ 6:28 pm

chupeta

Uma chupeta é sempre enternecedora, é o prolongamento da mama, o fazer sentir ao bebé que está seguro, dar-lhe a possibilidade de fazer bem uma das poucas coisas que sabe realmente fazer que é mamar. Por isso, as chupetas têm vários nomes, conforme quem as usa.

O Mário chamava às suas 3 chupetas de mumas. Para já a da Sara é só chucha.

E tu, tens alguns nomes afectivos associados a chupetas?