Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

achincalhar versus compreender 28/02/2015

Filed under: generalidades — jacky @ 8:59 pm

Sara,

Ainda és muito pequenina para compreenderes o quanto as pessoas podem ser más umas para as outras, principalmente as mulheres umas com as outras.
Claro que é mais fácil achincalhar, é mais fácil criticar, é mais fácil maldizer, é mais fácil julgar, é mais fácil condenar porque simplesmente não dá trabalho nenhum.
O contrário é que é trabalhoso: tentar pores-te na pele de outra pessoa para sentir o mundo de outra forma é difícil, tentar veres pelos olhos de outrém pressupõe muita criatividade, tentar compreenderes outras formas de pensar e de estar na vida requer muito trabalho intelectual.
O que é fácil é discutir com quem não concorda connosco porque chegar a um compromisso é mais trabalhoso. O que é fácil é guardar rancor de quem nos magoou, pois perdoar pressupõe limpar os maus pensamentos e isso é complicado. O que é fácil é gozar com as pessoas que têm comportamentos diferentes dos nossos, quando não queremos compreender o motivo porque os têm. O negativo é sempre fácil, já que é o mesmo que deixar andar. O positivo é que é difícil porque exige sairmos do comodismo diário e agir.
Sara, durante toda a tua vida vais ser criticada e gozada por muita gente, gente que pouco pensa e pouco faz, por isso não vale a pena melindrares-te com o que vai dizer por aí, gente assim não te é nada e quem não é teu amigo não te afecta.
Filha, vou estar sempre incondicionalmente do teu lado, sempre a querer compreender-te!

Adoro-te!
28.02.2015

Anúncios
 

Como eu imagino os heterónimos de Pessoa perante uma pedra! 11/02/2015

Filed under: poesia — jacky @ 10:10 pm
Tags: , , ,

Como eu imagino os heterónimos de Fernando Pessoa perante uma pedra:

Alberto Caeiro: Esta pedra é cinzento como o ceú em dias de tempestade. Estou a fruir a pedra tal como é no momento presente.

Ricardo Reis: A beleza desta pedra é comparável a um poema de Virgílio, em local ameno, num dia perfeito de Primavera. Carpe diem, pedra! Mas devagarinho, sem prazeres excessivos, porque vamos todos morrer e o melhor é ficarmos parados.

Álvaro de Campos( 2º fase: futurista): Adoro esta pedra! Pedras, pedras, pedras! Vou atirar pedras! Bing! Bing! Boing! Ricochete etc e tal. Adoro as pedras do mundo inteiro, as rochas e os penedos e as montanhas. Eu quero abraçar as pedras todas do Universo até as da Lua! UUUUUUUuuuuhUUUUUUhhhhh Pedras! PEDRAS!!!! Peeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeedraaaaaaaaaaaaaaaaaaas!

 

Cartas a Sara – Palavras 10/02/2015

Filed under: cartas da jacky — jacky @ 8:35 pm
Tags: ,

 Sara,

Às vezes, é difícil ser-se professora de Português/Francês, quando os alunos não gostam ou dizem que não serve para nada. A verdade é que todas as disciplinas que aprendem na escola são importantes e, mais tarde ou mais cedo, vão perceber que uso lhe hão-de dar.
O Francês é das mais belas línguas do mundo, é o idioma da elegância e da diplomacia. A falar francês nunca se abre muito a boca nem se cospe as palavras porque tem uma cadência leve e delicada. Quem sabe apreciar o Belo, gosta desta língua. O Francês é falado em muitos países do mundo e é a língua oficial da Tour Eiffel, o momnumento mais visitado do mundo. É falado em Paris, a capital do amor, da moda, da gastronomia e da literatura. É verdade que tem muitos verbos e muita gramática, mas isso é a culpa de quem faz os programas e não da língua em si.
Quanto ao Português, é a nossa língua. Pensamos com palavras e não com números. Comunicamos com frases e não com fórmulas. Damos voz às nossas emoções e aos nossos sentimentos com as palavras. Damos sentido à nossa vida e reconstituimos a nossa história pessoal com as nossas narrativas próprias.
É com o Português que aprendemos desde que nascemos, dando sentido ao caos, traduzindo as nossas memórias e experiências, não só em sentires mas principalmente em palavras. Pode ser usado para o bem, para curar, para apaziguar, para proteger, para reconfortar e para amar, mas também pode ser usado para o mal, para ferir, para enfurecer, para violentar, para manipular e para odiar.
A palavra é o que nos distingue dos animais e das plantas, porque dá-nos o poder de pensar, de criar, de imaginar, de inventar, de EXISTIR diferente dos outros. Quanto mais palavras conheceres, melhor compreenderás o mundo e o que te rodeia. Quanto mais compreenderes, mais competente te tornarás.
Os que pensam que a língua não é importante para a sua formação é como querer ser daltónico, ver apenas a realidade a preto e branco e em vários tons de cinzento. É desperdiçar todos os tons do arco-íris para contemplar o Belo existente no mundo.
Talvez seja por todos esses motivos que adoro ser professora de Português/Francês, porque contribuo para a formação do ser humano na sua essência e na sua totalidade, dando-lhe o poder da sua vida ser excepcional!

Filha, continua a amar as palavras como tens feito, porque elas são as pontes que te irão levar para outros mundos, outras realidade e para as outras pessoas. Usa-as sempre com carinho como se fossem carícias e evita as que ferem como punhais porque as palavras ficam guardadas nos recantos da memória e raramente são esquecidas.

Adoro-te!
10-02-2015

Jacqueline Lima