Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Considerandos sobre o amor (86) 31/08/2010

Filed under: considerandos sobre o amor — jacky @ 1:35 pm

A insubstituibilidade

(esta palavra não deve existir mas apeteceu-me inventá-la agora)

Há pessoas que vivem as suas vidas como se fossem insubstituíveis: nunca faltam ao trabalho porque ninguém pode fazer as suas tarefas; que se sobrecarregam de tarefas porque não podem delegar pois, ninguém as faz tão bem tão bem como elas próprias; estão sempre presentes porque ninguém se pode reunir sem eles; não se permitem estar doentes, andam em pé mesmo febris; não tiram férias, ou pelo menos a totalidade delas, e mesmo em férias não se desligam das tarefas a fazer; não faltam para dar apoio em casa, à família ou simplesmente para aproveitar a presença de quem vive com elas.

Há pessoas que julgam que são insubstituíveis, mas ninguém o é. Se por acaso atravessar a rua e for atropelado e morrer, a empresa não vai fechar porque deixam de trabalhar; a família, habituada a ser posta de parte, vai perfeitamente recompor-se, afinal é só uma ausência mais prolongada e os amigos, quais amigos? Não há tempo para se perder em manter os que se tem ou para se fazerem amigos novos…

Há pessoas que pensam que são insubstituíveis, mas não são. Depois de partirem, a roda gigante vai continuar em movimento, as engrenagens apenas terão de ser ajustadas à falta de um elemento e logo logo, tudo volta ao normal.

Na verdade, as pessoas insubstituíveis da nossa vida são aquelas que gastaram tempo com os afectos, que perderam tempo para estarem connosco, que estão disponíveis, que nos ajudam quando precisamos e não quando a empresa deixa, que metem a mão na massa no que for preciso, que riem e choram connosco porque estão lá e não fechadas num gabinete qualquer, são pessoas mesmo que virtuais sabem nos ouvir e estão atentas e ao mais pequeno sinal sabem quando são precisas. Essas pessoas, sim, quando falham, deixam um vazio muito grande, fazem-nos sentir sem ar e sem alento de tal forma a perda é dura…

As pessoas que nos amam com disponibilidade afectiva e efectiva é que são a essência da própria insubstituibilidade. Um brinde às suas vidas para que nunca deixem de estar presentes nas nossas!

Jacky (31.08.2010)