Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Considerandos sobre o amor (84) 08/03/2010

Filed under: considerandos sobre o amor — jacky @ 1:56 pm

O amor à vida

Ando fascinada com a minha mais pequena porque me faz sorver a vida, uma vida à qual já não ligamos porque já está tudo adquirido.

Uma criança pequena tem a bênção de amar a vida sem restrições nem preconceitos. Desde que viva num ambiente saudável e acolhedor, sorve todos os pequenos momentos, mesmo os repetidos com o maior dos prazeres.

Fica feliz porque consegue levar a  colher à boca com comida, porque bebem água e lhe sacia a sede e diz um aaaaaaaaaah de satisfação. Gosta de andar a correr porque sente o ar à sua volta e devagar, fazendo barulho com os pezitos só para ouvir o som que isso faz. Aprecia subir as escadas agarrada às paredes e ao corrimão e não se chateia por não haver elevador. Bate palmas quando consegue algo difícil ou quando ouve os parabéns vezes sem conta. Pega no pão com manteiga e leva-o à cara toda, sujando nariz e bochechas e gosta da sensação de lamber a manteiga. Agarra o lápis e rabisca uma folha sem preocupação estética e gosta da magia da cor que aparece. Cantarola sílabas sem sentido e grita miau com satisfação depois da canção atirei o pau ao gato. Brinca com as mãos, aprecia os dedos, repara que tem pés e que podem bater palmas também. Sabe já o que gosta e o que não gosta, diz que sim e que não com a cabeça e fica contente porque é compreendida. Desfia um floco de algodão, observando todos os pedacinhos que caem ao chão. Olha concentrada para a TV quando gosta do que vê. Olha-nos nos olhos e sorri, mesmo quem não conhece. Fica contente porque já sabe sentar-se sozinha ou trepar à cama sem ajuda.Chutar na bola,  correr atrás dela e conseguir apanhá-la. Carregar nos botões e descobrir que as luzes acendem ou que algo se liga. Gosta de observar como se cozinha, de meter as ervinhas no bife e ficar feliz com o elogio quando faz bem feito. Ri-se quando lava as mãos e tenta agarrar a água. Gosta de abrir e fechar portas mesmo se os dedos às vezes ficam lá atracados. É amiga, é leal e gosta da nossa companhia quando apreciamos a sua, porque brincamos e não estamos sentados perdidos nos nossos pensamentos, preocupações e problemas ou outras distracções.

Nós no entretanto, andamos cabisbaixos por isto ou por aquilo. Vivemos absorvidos nos nossos pequenos mundos, tentando impor os nossos pequenos egoísmos. Competimos para sermos reconhecidos pelo mundo e não ligamos a quem está mais próximo. Não valorizamos todas as pequenas conquistas que fomos tendo desde que nascemos, comportamo-nos como se tudo já estivesse garantido para sempre e não damos mais graças pela vida que temos.

Se andas, assim, ensimesmado(a), sem rumo, pára e volta a amar a vida nas suas pequenas coisas, como se fosses uma criança pequena.

Jacky (08/03/2010)

 

4 Responses to “Considerandos sobre o amor (84)”

  1. LUIZE Says:

    Beijo Jacky! Otimo dia para vc.
    Lu

  2. Helena Says:

    Delicioso! :)) Obrigada!😀

  3. sanunes Says:

    …gostei desta ‘leitura ‘ de mãe….

  4. eu gostei muito e não tenho palavras para fala

    como eu gostei.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s