Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Carolina Michaelis 25/03/2008

Filed under: educação — jacky @ 1:34 pm
Foi com profunda tristeza que vi na TV uma professora a ser agredida por uma aluna só por lhe ter tirado com razão o telemóvel. Fiquei extremamente chocada, não só pela violência verbal e física que a aluna usou contra a professora, como também pelas gargalhadas gerais da turma, por nenhum aluno ter mexido uma palha para moderar a aluna e por ainda terem assistido ao evento como se dum espéctaculo de circo se tratasse. Mais chocante ainda é que EU ESTUDEI NO CAROLINA. Foi sempre uma escola boa, de qualidade, embora pública e nunca pensei que se abandalhasse pelos próprios alunos… Que dizer mais?
 

15 Responses to “Carolina Michaelis”

  1. gitas Says:

    Este é só mais um caso do que se passa em muitos sítios.
    Muitos professores têm famílias de alunos à espera para lhes darem tareia, furam pneus, …
    É lamentável toda esta situação e a culpa também está nos pais que desautorizam os professores ao deixarem os filhos terem os telemóveis nas aulas.

  2. Filipa Says:

    Fiquei absolutamente abismada com o que vi!

  3. Pois eu também andei no Carolina e fiquei chocada ao ver a cena…hoje até a professora da situação foi à TVI com outros professores para falar no assunto! Já não há respeito por nada…e vejo que certos jovens estão mesmo “mal formados”…beijinhos amiga🙂

  4. Pedro Says:

    É fantastico que estejam a aguentar este tempo todo o segredo: eles estavam a ensaiar uma peça para o Sarau do Fim do Ano!

    Claro que os alunos sabem que aquelas atitudes são reprováveis, a ponto de satirizarem-nas na peça!

    LOLTAC ( laugh out loud to avoid crying…)

  5. Quintanilha Says:

    Sobre este assunto tenho a dizer o seguinte:
    O que eu vi no vídeo foi uma falta de categoria e uma falta de formação enorme por parte da professora, para lidar com cenas deste tipo, aliás, consta mesmo que a stora, apesar de estar em fim de carreira, (o que não é difícil na classe dos professores) havia muito tempo que não leccionava, estava num “job” qualquer em regime de requisição, talvez daí a sua falta de sensibilidade para evitar escaramuças deste tipo.
    Eu entendo que foi uma cena gratuíta provocada pela professora e facilmente evitável, pois tirou à força o telemóvel a esta aluna e havia na sala de aulas mais meia dúzia deles a tirarem fotos, a filmarem e tudo na galhofa.
    Esta professora não tem categoria para dar aulas e não me venham cá com a falta de autoridade na escola. Um professor tem de saber manter a disciplina, tem de saber respeitar e tem de saber dar-se ao respeito. Pelo que vi no vídeo, esta professora não reune nenhuma destas condições.
    A verdade é esta, não sejam hipócritas!

  6. jacky Says:

    Gitas, Filipa, Um ponto azul, choca-me o grupo turma não ter tido um único aluno a mostrar uma certa desaprovação…

    Pedro, pois, como ensaio de peça de fim de ano está simplesmente perfeito, nem precisam de ensaiar mais…

    Qintanilha, quer a professora tenha competência ou não (não me estava a referir a ela neste post), continuo a ficar chocada com o comportamento da turma. Não penses que é fácil ensinar hoje em dia. Já foste professor alguma vez? Eu já! E acredita que houve dias muito difíceis, que já fui insultada à porta da escola e que já fui quase agredida por outro dentro da sala, mas também tive dias espectaculares em que se trabalhava bem, em que os alunos queriam lá estar e eu também. Não vejas as coisas a preto e branco, mesmo os melhores professores, aqueles que impõem a autoridade como tu dizes, têm dias em que não conseguem…

  7. paulo Says:

    Pois, eu tb andei no Carolina (um dos primeiros rapazes no Carolina)

    E antes disso tive uma namorada no Carolina. Fui almoçar com ela, à cantina do Carolina e jurei que nunca mais punha os pés naquela cantina. Habituado à liberdade achei horrivel e inqualificável o excesso de disciplina.

    No Carolina fui aluno de expoentes máximos da cultura Carolinica que confundia um professor autoritário com um bom professor…

    Custa a perceber como se pode afundar tanto o ensino. Como se pode confundir o conceito de “escola” com o de correcção.

    Afastamos tanto do principio da delegação do poder paternal (ou maternal) de ensinar que qualquer pai (e mãe) acredita que é obrigação do professor educar.

    Bem feito para os professores que deram força aos sindicatos para distrairem toda a gente com assuntos que nada têm a ver com possibilidade de ensinarem.

    Temos tido demasiadas Anas Benaventes a trabalhar com os governos.

    Enquanto não forem os professores a exigir avaliação imparcial dos alunos para que se determine a capacidade ensinar e se distingam os bons professores (que são a maioria) dos parasitas, não haverá quem confie os filhos ao ensino publico. Este só servirá para distrair os putos enquento os pais estão no futebol, no café, a ver a novela… chorando-se que têm muito trabalho e não podem dar atenção aos filhos.

    Os bons pais (que ainda são a maioria) correm muito e esgotam o seu tempo dedicando-o aos filhos… Não andam nos cafés a denegrir o ensino nem vão à escola no horário normal de trabalho espancar professores…

  8. Outras Ondas Says:

    O Sr. Quintanilha ai em cima certamente pensa que o mundo é cor-de-rosa e que toda a gente obedece e que os macaquinhos da Carolina Michaelis são amestrados e sentam quando dizemos “Senta”.

    Falta de categoria tem ele, que não sabe o que diz, e aproveita o facto de a internet ser de livre acesso para vir vomitar imbecilidades mascaradas como “opinião”.

  9. Akula Says:

    …e portanto, a professora não está lá para corrigir comportamentos porque a sua função é leccionar e a dos pais educar (fazendo-o mal, pelo que dizem) mas mesmo assim foi mexer num telemóvel que não era dela.

    Se quiserem ver o caso a preto e branco, podem. Ninguém proíbe, mas atribuir culpas por se gostar mais ou menos da escola ou se defender mais ou menos a profissão da professora, tem tanto de fácil como de inútil.

  10. Marcia Says:

    Olá a todos.
    Antes de mais, quero dizer que fui aluna da extraordinária Professora Jack.
    Esta senhora (entre outros, e muito poucos) é a prova de que se pode ter vocação para ser professor, a todos os níveis.
    Mas a vocação não quer dizer que vá ou não receber “maus tratos” dos alunos…

    Mas em relação ao assunto da aluna que agrediu a professora, tenho a dizer que o que esta em causa, não é se a professora estava certa ou não, mas sim a falta de respeito e o sentimento de inferioridade com que os professores são tratados.

    Uma coisa é certa, acho muito bem, que a miuda seja “julgada”, de forma a que se torne um exemplo para todos (esta apenas teve azar ser a primeira a ser filmada…), para ver se desta forma, todo o país têm conciência do que se passa em maioria em todas as saulas de aulas, com as “crianças”.
    Temos de por a mão a esta situação, se não daqui a pouco estes miudos, vão com esta atitude para a faculdade, e posteriormente para o trabalho. Isso não pode acontecer.

    Mais importante de tudo, é os pais ter a consiência do que se passa na escola, de como o seu filho pode ser uma pessoa em casa, e outra na escola.
    Ou melhor, muitos pais nem querem conhecer os filhos, apenas lhes dão tudo, para estes nem reclamarem, e falem o menos possivel com eles.
    Pois já vêm muito exaustos do trabalho, por isso preferem passar fome, e darem uma playstation para o materem “controlado”, não dando a criança principios de vida nem educação.

    Cumprimentos

    Márcia Pereira

  11. Henrique Pasadas Says:

    Ponto1. Ninguém poderá concordar com a indisciplina nas escolas.
    Ponto 2. Mas ficam no ar algumas perguntas: Porquê esta histeria colectiva de crucificar a aluna? Será que imprensa, radio, televisão, poderes políticos, pais acordaram agora? Onde estava toda esta gente quando a indisciplina se foi desenvolvendo nas escolas e nas famílias? Estarão com remorsos? Se não era permitido usar telemóveis, porquê todos os alunos os estavam a usar? Onde esteve esta professora nos últimos 20 anos? Deu aulas? Porquê a senhora vai ficar dispensada das aulas até reformar-se quando se recusa reforma a professores com doenças terminais? Como é que o telemóvel foi parar às mãos da professora? Não será que o acto educativo que poderia ter decorrido do incidente ficou completamente destruído por culpa da forma como a professora lidou com a situação? …?…? Esquecia-me, fui professor e dos duros, mas não me reconheço nem em atitudes de indisciplina nem em condenações liminares de alunos, fica muita coisa por explicar, acto educativo é que não houve.

  12. Barbara Oliveira Says:

    Bem, eu sou aluna do Carolina e ando no 11º ano.
    É realmente lamentável a atitude que toda a turma teve em relação aquilo que se passou, pois eles para além de fazerem aquilo uma “festa” e nao acudirem a professora logo quando a aluna se virou a ela, é apenas o reflexo que hoje em dia a nossa geração tem de pior. Como aluna, sempre soube que os telemóveis SAO proibidos nas aulas ligados! Não entendo o tumulto que agora ocorre a volta dessa “lei” , só porque uma menina decidiu ser… Enfim, como muitos são. Acerca do que dizem da professora, sinceramente, seja um professor disciplinado, preparado ou não para encarar estas situações, antes de tudo, são seres humanos. Depois de avisar a aluna, mais de que uma vez para largar o telemovel, e esta nao o fazer, e até estar a fazer uma infracção, a professora tem todo o direito de tirar o telemovel da aluna. “O telemovel pertencia a aluna!” Certo, mas numa aula É PROIBIDO estar com os telemoveis ligados, e na sala de aula quem exerce a autoridade é o professor.
    Infelizmente, como a nossa sociedade é assim… sem adjectivo que se aplique, no final a professora é que vai ficar com as culpas. Ao menos, isto mostra um pouco do caminho que a educação está a tomar e até, mais promenorizadamente, aquela turma de 9º ano, só é constituida de alunos maioritariamente considerados problemáticos. Aí a culpa não recai só no estado, mas sim no concelho que planeia as turmas.
    Para acabar, só quero dizer a todos os mais velhos e àqueles que andaram no Carolina e tão desiludidos, grande parte dos professores do carolina sao excepcionais, excelentes e rigorosos professores. Assim como há alunos exemplares que só querem acabar a escola o mais depressa e o melhor possivel o secundário para entrar para a faculdade. Não pensem que toda a nova geração é como aquilo que foi representado ali, ou melhor, que a qualidade do Carolina Michaelis só reside naquelas imagens e naquela turma.

    Obrigada

    Bárbara Oliveira

  13. AJ Says:

    Pois na minha opinião, caro Quintanilha, tu é que devias saber quando devias estar calado em vez de dizeres baboseiras sem qualquer tipo de conhecimento sobre o assunto!
    Quem será o hipocrita aqui???

    AJ

  14. livia Says:

    MUITAS DESSAS ESCOLAS SE ENCONTRAM ASSIM PELO SIMPLES MOTIVO DA UNIÃO E PREFEITURAS NÃO SERAM ORGANIZADAS O SUFICIENTE PARA ATENDER E ASSISTIR O QUE DE MAIS A SOCIEDADE PRECISA E OU NECESSITA PARA UMA BOA FORMAÇÃO CULTURAL, PROFISSIONAL.
    E TAMBEM DEIXANDO A FISCALIZAÇÃO DE LADO E CONTRATANDO AS VEZES COM UMA PARCELA DE CULPA OS PROPRIOS DIRETORES QUE TAMBEM, EM VARIADOS CASOS NÃO ESTAO APTOS A SERAM LÍDER, NÃO ENTENDEM DE ORGANIZAÇÃO OU NUNCA TRABALHOU REALMENTE “CARA A CARA” COM O PUBLICO, OU SEJA, NÃO DESENVOLVEU TECNICAS DE COMO TRABALHAR EM ORGANIZAÇÃO COM GRUPOS DE PESSOAS. E POR AI VAI…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s