Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Frio 07/02/2007

Filed under: contos da jacky — jacky @ 9:00 am

fogo1.jpg

Ela tinha frio, muito frio. Há muito tempo que o seu coração estava a hibernar, encarcerado dentro de um iceberg. Ligava sempre o aquecedor e o cobertor eléctrico nos dias frios. Tinha vários cobertores na cama. Vestia camisolas de gola alta e botas forradas. Tudo fazia para sair do entorpecimento.

Certos dias, a solidão insinuava-se, transformando as pequenas gostas de orvalho felizes da sua existência em geada cortante. Ficava assim isolada, sem saber como, nem porquê, naquele pólo Norte, onde nem pinguins lhe podiam fazer companhia.

Às vezes, sentia-se melhor perto dele. Ele fazia-lhe lembrar Prometeu que roubou o fogo aos deuses para dar aos homens. Sentia-se atraída por ele como fósforo, pronto a incendiar-se. Tinha vontade de cozer o bolo dos seus afectos na sua fornalha. Primeiro, em lume brando, para não se queimar. Depois, talvez, atear a labareda.

Tinha medo, muito medo de tornar-se pirómana, dependente da fogosidade do seu corpo para se sentir viva de novo. Receava provar o sabor da apoteose, sentir em si fogo de artifício e depois, arrefecer de repente com o extintor da indiferença. Na verdade, já tinha sido fénix e não sabia se teria capacidade de renascer das cinzas do abandono de novo.

Agora, tinha menos frio, mas preferia ainda ficar à distância. Não fosse ele apenas fogo de vista e deixar morrer as brasas ao mais pequeno descuido…

Jacky (16.11.2005)

Anúncios
 

7 Responses to “Frio”

  1. Insueto Says:

    Agora que voltei a frequentar assiduamente os meus blogs preferidos, e de ler, nos últimos dias, estes contos, tenho de dizer: ADORO-OS! Lindíssimos, cheios de sentimento e valores. 😉 Bjs*

  2. fábula Says:

    brrrr! vou-me aquecer perto dele 😉

  3. Bem, eu acho que é pior morrer de frio que de calor.

    Beijinhos

  4. Alba Says:

    Bem, como se costuma dizer “gato escaldado de água fria tem medo”. Agora mais a sério: Acho que descreves a proximidade do degelo. Primeiro cauteloso depois… serena, sem receios nem dúvidas. Um beijinho 🙂

  5. wind Says:

    Sinto uma perfeita identificação com esta “estória” 🙂

  6. jacky Says:

    São pequenas histórias que escrevi há cerca de um ano e que me lembrei de republicar.

    Obrigada insueto, fábula, thiago, alba e wind por comentarem.

    Beijinhos ****

  7. marian Says:

    Amei as analogias Jacky! 😉
    Acredito firmemente nas capacidades de Fénix que todos temos…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s