Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Les voyages en train, Grand corps malade 27/06/2006

Filed under: France,música — jacky @ 8:33 pm

Vi o videoclip desta canção na MCM e adorei. A letra é tão bonita que decidi traduzi-la para vocês. Merece ser lida e ouvida com atenção aqui! Ou visto o videoclip no you tube aqui.

Grand Corps Malade

Je crois que les histoires d’amour c’est comme les voyages en train,
Et quand je vois tous ces voyageurs parfois j’aimerais en être un,
Pourquoi tu crois que tant de gens attendent sur le quai de la gare ?
Pourquoi tu crois qu’on flippe autant d’arriver en retard ?

Penso que as histórias de amor são como as viagens de comboio,
E quando vejo todos estes viajantes por vezes gostava de ser um,
Porque achas que tanta gente espera no cais da estação ?
Porque achas que tantos se passam de chegarem atrasados ?

Les trains démarrent souvent au moment où l’on s’y attend le moins,
Et l’histoire d’amour t’emporte sous l’œil impuissant des témoins,
Les témoins c’est tes potes qui te disent au revoir sur le quai,
Ils regardent le train s’éloigner avec un sourire inquiet,

Os comboios partem muitas vezes quando menos se espera
E a história de amor toma conta de ti sob o olhar impotente das testemunhas
As testemunhas são os teus amigalhaços que te dizem até breve no cais
Eles vêem o comboio partir com um sorriso inquieto

Toi aussi tu leur fais signe et tu imagines leurs commentaires,
Certains pensent que tu te plantes et que tu (n’)as pas les pieds sur terre,
Chacun y va de son pronostic sur la durée du voyage,
Pour la plupart le train va dérailler dès le premier orage.

Tu também fazes-lhes sinais e imaginas os comentários
Alguns pensam que te vais tramar e que não tens os pés assentes na terra
Cada um dá o seu prognóstico sobre a duração da viagem
Para a maioria o comboio vai descarrilar à primeira tempestade.

Le grand amour change forcément ton comportement,
Dès le premier jour faut bien choisir ton compartiment,
Siège couloir ou contre la vitre il faut trouver la bonne place,
Tu choisis quoi une love story de première ou de seconde classe ?

O grande amor muda forçosamente o teu comportamento
Desde o primeiro dia é preciso escolher o teu compartimento
Assento no corredor ou junto à janela é preciso encontrar o bom lugar
Escolhes o quê, uma história de amor de primeira ou segunda classe ?

Dans les premiers kilomètres tu n’as d’yeux que pour son visage,
Tu calcules pas derrière la fenêtre le défilé des paysages,
Tu te sens vivant tu te sens léger tu ne vois pas passer l’heure,
T’es tellement bien que tu as presque envie d’embrasser le contrôleur.

Nos primeiros quilómetros só tens olhos para o seu rosto
Nem calculas pela janela o desfilar da paisagem
Sentes-te vivo sentes-te ligeiro nem vês passar as horas
Estás tão bem que até te apetece beijar o controlador.

Mais la magie ne dure qu’un temps et ton histoire bât de l’aile,
Toi tu te dis que tu n’y es pour rien et que c’est sa faute à elle,
Le ronronnement du train te saoule et chaque virage t’écœure,
Faut que tu te lèves que tu marches, tu vas te dégourdir le cœur.

Mas a magia dura apenas um tempo e a tua história tem asas
Dizes-te que não foi por ti que é culpa dela
O ronronar do comboio irrita-te e cada curva agonia-te
Precisas de te levantar, de andar de desentorpecer o coração.

Et le train ralentit et c’est déjà la fin de ton histoire,
En plus tu es comme un con tes potes sont restés à l’autre gare,
Tu dis au revoir à celle que tu appelleras désormais ton ex,
Dans son agenda sur ton nom elle va passer un coup de tipex.

E o comboio afrouxa e já é o fim da tua história
Ainda por cima estás aparvalhado os teus amigos ficaram na outra estação
Dizes até à próxima àquela que a partir de agora chamarás de ex
sobre o teu nome na agenda dela vai apagar-te com o corrector

C’est vrai que les histoires d’amour c’est comme les voyages en train,
Et quand je vois tous ces voyageurs parfois j’aimerais en être un,
Pourquoi tu crois que tant de gens attendent sur le quai de la gare,
Pourquoi tu crois qu’on flippe autant d’arriver en retard.

É verdade que as histórias de amor são como as viagens de comboio,
E quando vejo todos estes viajantes por vezes gostava de ser um,
Porque achas que tanta gente espera no cais da estação ?
Porque achas que tantos se passam de chegarem atrasados ?

Pour beaucoup la vie se résume à essayer de monter dans le train,
A connaître ce qu’est l’amour et se découvrir plein d’entrain,
Pour beaucoup l’objectif est d’arriver à la bonne heure,
Pour réussir son voyage et avoir accès au bonheur.

Para muitos a vida resume-se a tentar subir a um comboio
A conhecer o que é o amor e descobrir-se cheio de entusiasmo
Para muitos o objectivo é de chegar à hora
Para ter êxito na viagem e ter acesso à felicidade.

Il est facile de prendre un train encore faut-il prendre le bon,
Moi je suis monté dans deux trois rames mais c’était pas le bon wagon,
Car les trains sont capricieux et certains sont inaccessibles,
Et je ne crois pas tout le temps qu’avec la SNCF c’est possible.

É fácil de apanhar um comboio, o que é preciso é apanhar o bom
Eu já subi em dois ou três mas não era a boa carruagem
Porque os comboios são caprichosos e alguns inacessíveis
E penso que a maior parte do tempo com a CP não é possível.

Il y a ceux pour qui les trains sont toujours en grèves,
Et leurs histoires d’amour n’existent que dans leurs rêves,
Et y’a ceux qui foncent dans le premier train sans faire attention,
Mais forcément ils descendront dessus à la prochaine station,

Para alguns os comboios estão sempre em greve
E as histórias de amor apenas existem nos seus sonhos
Há outros que se atiram no primeiro comboio sem fazer atenção
Mas forçosamente sairão na próxima estação.

Y’a celles qui flippent de s’engager parce qu’elles sont trop émotives,
Pour elles c’est trop risqué de s’accrocher à la locomotive,
Et y’a les aventuriers qu’enchaînent voyages sur voyages,
Dès qu’une histoire est terminée ils attaquent une autre page.

Há algumas que flipam em comprometerem-se porque são muito emotivas
Para elas é arriscado agarrem-se à locomotiva
Há os aventureiros que encadeiam viagem após viagem
Logo que uma história acabou atacam uma outra página

Moi après mon seul vrai voyage j’ai souffert pendant des mois,
On s’est quitté d’un commun accord mais elle était plus d’accord que moi,
Depuis je traîne sur les quais je regarde les trains au départ,
Y’a des portes qui s’ouvrent mais dans une gare je me sens à part.

Eu, depois da minha única e verdadeira viagem, sofri durante meses
Deixámo-nos de comum acordo mas mais do lado dela do que do meu
Desde então arrasto-me pelos cais, olho para os comboios que partem
Há portas que se abrem mas numa estação onde estou deslocado.

Il parait que les voyages en train finissent mal en général,
Si pour toi c’est le cas accroche toi et garde le moral,
Car une chose est certaine y’aura toujours un terminus,
Maintenant tu es prévenu la prochaine fois tu prendras le bus.

Dizem que as viagens de comboio acabam mal em geral
Se é o teu caso agarra-te e mantém a boa disposição
Porque uma coisa é certa haverá sempre um término
Agora que estás prevenido para a próxima apanha o autocarro.

 

11 Responses to “Les voyages en train, Grand corps malade”

  1. wind Says:

    Desculpa, mas não gostei do vídeo, para declamar, dêm-me Brel!

  2. cap Says:

    E quem enjoa de autocarro? 8)

  3. Poema longo mas bonito e cheio de significado.
    Mesmo assim prefiro o combóio ao autocarro.
    Gostava de apanhar um combóio agora, para bem longe…

    Beijinhos

  4. Xuk Says:

    Gostei muito… Obrigado por teres traduzido, de outra forma não apanharia metade.

    Beijinho

  5. Adriana Says:

    Gostei muito…acho que quem não aprecia não devia sequer dar-se ao trabalho de comentar…
    A letra está espetacular…e obrigada pela tradução que era mesmo o que eu andava à procura!
    Merci (‘´,)

    Beijinhos

  6. Fati Says:

    Eu Adoro. Viu em concerto em França este mès. A lettra dele è muito bela, virao mas lagrimas os olhos, e o soriso tabem

  7. jacky Says:

    O poema é muito lindo, wind, uma alegoria invulgar🙂 mas também gosto de Brel!

    cap, anda a pé!😆

    xuk, de nada🙂

    Sonhador, desde que não seja naquele comboio em que há mortes num livro da Agatha Christie😆

    De rien, adriana, sabes como é, se todos gostassem do amarelo apenas…😉

    Fati, já fui espreitar o teu site de homenagem à música. Bem-vinda ao amorizade!

  8. patricia Says:

    este poema reflete não simplismente uma viagem de comboio, mas todo o percurso de vida de qualquer ser humano aqui na terra, seja por uma história de amor ou seja por alguns ideais que as vezes nos mergulhamos e acontece exatamente como poeticamente relata este belo poema, sonhos, sentimentos, relacionamentos de primeira ou segunda classe tal como é nossa vida, cheia de altos e baixos…mas devemos considerar tudo como aprendizado!!!!

  9. Nidia Says:

    Agradecida pela tradução..descobri há pouco tempo tb pela Mcm..e ando a cuscar na net tudo o q esteja relacionado com grand corps malade … é simplesmente lindissimo!!!!😉

  10. didi Says:

    Grand Corps Malade : à consommer sans modération .
    Não sou fã de slam mas adoro ouvir Grand Corps Malade…

  11. Srta Notinha Says:

    plus belle esse poema! quase chorei ao ler… merci j’adore!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s