Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Crisântemo 31/10/2004

Filed under: flores — jacky @ 4:02 pm


Pink Chrysanthemum, by Lorie Miles

Nome científico: chrysanthemum
Significado: amor frágil.
Mensagem: na vida e na morte, recordo-me.

É a flor favorita para se oferecer no dia dos fieis defuntos e no dia de todos os santos, dias 31 de Outubro e 1 de Novembro.

Anúncios
 

Como te sentes hoje?

Filed under: emoções — jacky @ 1:09 pm


encontrado aqui

 

considerandos sobre o ciúme

Filed under: emoções — jacky @ 1:02 pm


Are you jealous, by Gauguin

Hoje em dia, sentir ciúme é feio e mal visto. É-se logo etiquetado de coitadinho inseguro que tem tão pouca auto-estima… Só as almas pouco nobres podem ter emoções mesquinhas como os ciúmes!
Pois é…Quem faz esse tipo de afirmações tem um pouco de razão quanto à insegurança e à auto-estima mas nem todos os casos de ciúme derivam daí.

1º O ciúme é uma emoção universal, sentida em todos os povos e culturas porque faz parte do património genético da humanidade.

2º O ciúme existe para garantir a o sucesso reprodutivo da espécie, pois havendo exclusividade numa relação, é mais fácil garantir a sobrevivência dos descendentes!

3º O ciúme funciona como uma forma de mostrar que se gosta do outro e que certas situações que envolvem ocasionalmente terceiros podem-nos fazer sofrer.

4º O ciúme é uma emoção normal em pessoas que já foram traídas anteriormente ou que assistiram às infidelidades dos pais durante a infância.

5º O ciúme pode tornar-se doentio quando a pessoa começa a vigiar o outro de forma sistemática, quando começa a restringir os contactos com o exterior isolando o outro e quando começa a desvalorizá-lo de forma a controlá-lo melhor.

6º O ciúme acontece em pessoas normalmente não ciumentas quando o outro muda e a relação entre ambos fica desequilibrada. Aparece como um aviso de que algo está a correr mal.

7º O ciúme também é mais frequente em pessoas muito emotivas e assim sendo sentem mais intensamente as suas emoções que as outras pessoas.

8º O ciúme é recorrente em pessoas que acham que não valem nada, que são desinteressantes, enfim, que não gostam de si nem têm boa imagem de si próprias. Isso leva-as a acreditar que mais tarde ou mais cedo serão abandonadas quando surgir outra pessoa melhor.

9º O ciúme pode surgir de repente em determinadas ocasiões ou instalar-se definitivamente.

10º O ciúme faz sofrer porque surge muitas vezes aliado à raiva, ao medo, à tristeza, à agressividade, à culpabilização e/ou à insegurança.

Portanto, o ciúme é natural em todo o ser humano! O que não é normal é viver atormentado pelos ciúmes. É preciso reflectir qual é a sua origem e depois tentar controlar o ciúme, resolvendo o que está errado.

E agora, já admites ser ciumento(a)?

 

livros 29/10/2004

Filed under: leituras — jacky @ 11:21 pm


Books in Winter, by Jessie Wilcox Smith

Tenho saudades de ler. Tenho saudades do tempo em que não havia limites entre eu e o meu amigo livro. Que poderia eu querer de melhor senão um livro cheio de amigos invisíveis que me contavam aventuras e notícias de países distantes? Onde poderia eu encontrar alegria, tristeza, medo, coragem, felicidade, mistério e fantasia à minha medida?
Deixei de ter tempo para os livros e para a fantasia. Agora tenho algo ainda melhor 🙂 uma criança que me questiona, motiva, abraça, cansa, ama e que tem mais imaginação que todos os livros juntos que eu já li até hoje!

E tu, consideras os livros teus amigos?

 

Se…, de R. Kipling

Filed under: poesia — jacky @ 11:16 pm


Building memories, by Jack Sorenson

Se…

Se consegues manter a calma
quando à tua volta todos a perdem
e te culpam por isso.

Se consegues ter confiança em ti
quando todos duvidam de ti
e aceitas as suas dúvidas

Se consegues esperar sem te cansares por esperar
ou caluniado não responderes com calúnias
ou odiado não dares espaço ao ódio
sem porém te fazeres demasiado bom
e sem um discurso de superioridade

Se consegues sonhar
sem fazeres dos sonhos teus mestres
Se consegues pensar
sem fazeres dos pensamentos teus objectivos
Se consegues encontrar-te com o Triunfo e a Derrota
e tratares esses dois impostores do mesmo modo

Se consegues suportar
a escuta das verdades que dizes
distorcidas pelos que te querem ver
cair em armadilhas
ou encarar tudo aquilo pelo qual lutaste na vida
ficar destruído
e reconstruíres tudo de novo
com instrumentos gastos pelo tempo

Se consegues num único passo
arriscar tudo o que conquistaste
num lançamento de cara ou coroa,
perderes e recomeçares de novo
sem balbuciar uma palavra sobre a tua perda.

Se consegues constringir o teu coração,
nervos e força
para te servirem na tua vez
já depois de não existirem,
e aguentares
quando já nada tens em ti
a não ser a vontade que te diz:
“Aguenta-te!”

Se consegues falar para multidões
e permaneceres com as tuas virtudes
ou andares entre reis e pobres
e agires naturalmente

Se nem inimigos
ou amigos queridos
te conseguirem ofender
Se todas as pessoas contam contigo
mas nenhuma demasiado

Se consegues preencher cada minuto
dando valor
a todos os segundos que passam
Tua é a Terra
e tudo o que nela existe
e mais ainda,
tu serás um Homem, meu filho!

Emprestadado ao amorizade pelo Orlando

 

beleza

Filed under: emoções — jacky @ 8:05 am

Hoje em dia, o paradigma da beleza feminina é a mulher magra, quase sem curvas como se pode ver nos desfiles de moda ou então mulheres explosivas com peitos enormes e corpos bem delineados.

Antigamente, não havia preconceito relativamente a umas gordurinhas a mais e ter um pouco de barriga até era sexy (ver representação do nascimento de Vénus, a deusa da beleza e do amor, por Sandro Botticelli).

Uma coisa que me faz pena é que as mulheres de hoje estão a perder a sua feminilidade. Raramente vejo jovens de saia ou de vestido, de cabelos arranjados e com uma certa «coquêterie». Fico sempre com a impressão que os adolescentes querem tanto se identificar tanto uns aos outros que rapazes parecem raparigas e vice versa. Parecem vestidos com uniformes e de costas, é difícil identificar quem é quem… Que pensas disso? Que paradigmas de beleza se estão a construir neste século XXI?

 

May I, said he… Why not, said she, E. E. Cummings

Filed under: poemas de amor — jacky @ 7:51 am


La belle dame sans merci, by Sir Franck Dicksee

may i feel said he
(i’ll squeal said she
just once said he)
it’s fun said she

(may i touch said he
how much said she
a lot said he)
why not said she

(let’s go said he
not too far said she
what’s too far said he
where you are said she)

may i stay said he
(which way said she
like this said he
if you kiss said she

may i move said he
is it love said she)
if you’re willing said he
but you’re killing said she

(but it’s life said he
but your wife said she
now said he)
ow said she

(tiptop said he
don’t stop said she
oh no said he)
go slow said she

(ccome?said he
ummm said she)
you’re divine! said he
(you are Mine said she)

Oferecido pela Manuela ao amorizade 🙂