Amorizade

Amor + Amizade – Termo de Luandino Vieira

Top 5 das melhores baladas de sempre 12/07/2008

Filed under: canções de amor,música,top 5 — jacky @ 7:08 pm

Estou a Ouvir/ver o Top 50 das melhores baladas de sempre da VH1 e é estranho (ou talvez não) que a maioria das baladas sejam dos anos 80/90.

Entre as 5 primeiras estão:

  1. Purple rain – Prince & The Revolution
  2. Never tears us apart – INXS
  3. I wanna know what love is – Foreigner
  4. With or withou you – U2
  5. Have you ever loved a woman – Bryan Adams

Se tivesse de ser eu a fazer um top 5 das melhores baladas de sempre, ser-me-ia muito difícil porque há tantas canções que eu gosto e que me dizem muito, não só porque são baladas muito lindas mas principalmente porque estão ligadas a certos acontecimentos importantes da minha vida. Portanto, um top desses seria sempre algo de bastante subjectivo para qualquer um de nós…

Aqui fica o meu top 5/10 de hoje (porque se o fizesse amanhã, as músicas já seriam outras tirando a primeira que permanecerá imutável):

  1. How can you mend a broken heart – Al Green
  2. Drive – The Cars
  3. The deer hunter – The Shadows
  4. Porto Sentido – Rui Veloso
  5. Dream a little dream of me – Mama Cass
  6. God only knows – The Beach Boys
  7. I’m not in love – 10CC
  8. Dreams are my reality – Richard Sanderson
  9. How deep is your love – Bee Gees
  10. Careless Whisper – George Michael

E tu, se tivesses de fazer um top 5 das tuas melhores baladas de sempre, qual seria?

 

Fado do Encontro – Tim & Mariza 11/04/2007

Filed under: canções de amor,música — jacky @ 1:49 pm

E agora aqui ao lado no vod pod uma canção para vos embalar nesta tarde chuvosa, simplesmente linda!

Vou andando, cantando
Tenho o sol à minha frente
Tão quente, brilhante
Sinto o fogo à flor da pele
Tão quente, beijando
Como se fosses tu

Ao longe, distante
Fica o mar no horizonte
É nele, por certo
Onde a tua alma se esconde
Carente, esperando
Esse mar és tu

Pode a noite ter outra cor
Pode o vento ser mais frio
Pode a lua subir no céu
Eu já vou descendo o rio…

Na foz, revolta
Fecho os olhos, penso em ti
Tão perto, que desperto
Há uma alma à minha frente
Tão quente, beijando
Por certo que és tu

Pode a lua subir no céu
E as nuvens a noite toldar
Pode o escuro ser como breu
Acabei por te encontrar

Vou andando, cantando
Tive o sol à minha frente
Tão quente, brilhando
Que a saudade me deixou
Para sempre,
Por certo
O meu Amor és tu.

 

E se fosses uma música romântica? 02/04/2007

Filed under: canções de amor,música,testes — jacky @ 12:15 am

Você é perito em mergulhar de cabeça numa relação para se perder de amores.
Adora explorar o lado lunar da pessoa amada e conhecer todos os seus segredos.

Pra me perder nesses recantos
Onde tu andas sozinha sem mim
Ardo em Ciúme desse jardim
Onde só vai quem tu quiseres
Onde és senhora do tempo sem fim
Por minha cruz, jóia de luz
Entre as mulheres

 

Tous les garçons et les filles – Françoise Hardy 30/03/2007

Filed under: canções de amor,France — jacky @ 4:22 pm

Chega a Primavera. Há como um despertar do corpo que acompanha as mutações da Natureza. Há como uma necessidade de acordar para o sol que já espreita malandro por entre as nuvens. Há como uma vontade de ser água, fogo, ar e terra. Há como um fervilhar que pede amorizade. Quem ama anda mais nas nuvens. Quem procura amar e não encontra fica como esta canção da Françoise Hardy…

Um bom fim de semana! Aproveitem estes dois dias para apreciar as flores que despontam…


Tous les garçons et les filles de mon âge
se promènent dans la rue deux par deux
tous les garçons et les filles de mon âge
savent bien ce que c’est d’être heureux
et les yeux dans les yeux et la main dans la main
ils s’en vont amoureux sans peur du lendemain
oui mais moi, je vais seule par les rues, l’âme en peine
oui mais moi, je vais seule, car personne ne m’aime

Mes jours comme mes nuits sont en tous points pareils
sans joies et pleins d’ennuis personne ne murmure “je t’aime”
à mon oreille

Tous les garçons et les filles de mon âge
font ensemble des projets d’avenir
tous les garçons et les filles de mon âge
savent très bien ce qu’aimer veut dire
et les yeux dans les yeux et la main dans la main
ils s’en vont amoureux sans peur du lendemain
oui mais moi, je vais seule par les rues, l’âme en peine
oui mais moi, je vais seule, car personne ne m’aime

Mes jours comme mes nuits sont en tous points pareils
sans joies et pleins d’ennuis oh! quand donc pour moi brillera le soleil?

Comme les garçons et les filles de mon âge connaîtrais-je
bientôt ce qu’est l’amour?
comme les garçons et les filles de mon âge je me
demande quand viendra le jour
où les yeux dans ses yeux et la main dans sa main
j’aurai le cœur heureux sans peur du lendemain
le jour où je n’aurai plus du tout l’âme en peine

le jour où moi aussi j’aurai quelqu’un qui m’aime

 

J’ai encore rêvé d’elle – Il était une fois 27/03/2007

Filed under: canções de amor,France,música — jacky @ 12:42 pm

Ena pá, sei que é parvo contar isto, mas quase chorei a ver este videoclip da minha infância. É de 1975 e foi um dos maiores sucessos do grupo Il était une fois. É das mais belas canções de amor que já ouvi e nunca me irei cansar de a ouvir. Especialmente para ti, que não és craque a francês, traduzi a letra para a poderes apreciar

J’ai encore rêvé d’elle
C’est bête, elle n’a rien fait pour ça
Elle n’est pas vraiment belle
C’est mieux, elle est faite pour moi
Toute en douceur
Juste pour mon cœur

 

Sonhei de novo com ela

É parvo porque ela nem fez por isso

Ela não é assim bonita

Melhor ainda, foi feita para mim

Toda doçura

Apenas para o meu coração

Je l’ai rêvée si fort
Que les draps s’en souviennent
Je dormais dans son corps
Bercé par ses “Je t’aime”.

 

Sonhei-a tão intensamente

Que os lençóis se recordam

Dormia no seu corpo

Embalado pelos seus: Amo-te.

Si je pouvais me réveiller à ses côtés
Si je savais où la trouver
Donnez-moi l’espoir
Prêtez-moi un soir
Une nuit, juste, pour elle et moi
Et demain matin, elle s’en ira

 

Se eu pudesse acordar ao lado dela

Se eu soubesse onde encontrá-la

Dêem-me esperança

Emprestem-me um serão,

Uma noite só para ela e para mim

E amanhã de manhã poderá partir


J’ai encore rêvé d’elle
Je rêve aussi
Je n’ai rien fait pour ça
J’ai mal dormi
Elle n’est pas vraiment belle
J’ai un peu froid
Elle est faite pour moi
Réveille-toi…

 

Sonhei outra vez com ela

Também sonho

Não fiz nada para que acontecesse

Dormi mal

Ela não é assim bonita

Sinto um pouco de frio

Foi feita para mim

Acorda…


Toute en douceur
Juste pour mon cœur

 

Toda doçura

Apenas para o meu coração

Si je pouvais me réveiller à ses côtés
Ouvre tes yeux, tu ne dors pas
Si je savais où la trouver
Regarde-moi
Donnez-moi l’espoir
Je suis à toi
Prêtez-moi un soir
Je t’aime
Une nuit, juste pour elle et moi

 

Se eu pudesse acordar ao lado dela

Abre os olhos, não estás a dormir

Se eu soubesse onde encontrá-la

Olha para mim

Dêem-me esperança

Sou tua

Emprestem-me uma noite

Amo-te

Uma noite, para ela e para mim


Et demain,

Et demain, enfin je vais me réveiller
Je t’attendais, regarde-moi
A ses côtés, c’est sûr je vais la retrouver
Ouvre tes bras
Donnez-moi un soir
Je suis à toi
Laissez-moi y croire

E amanhã

E amanhã finalmente vou acordar

Esperava-te, olha para mim

Ao seu lado, é certo que a encontrarei

Abraça-me

Dêem-me uma noite

Sou tua

Deixem-me acreditar


Une vie juste pour toi et moi
Et demain matin, tu seras là…

 

Uma vida para ti e para mim

E amanhã de manhã, estarás aqui…

 

Aimer à perdre la raison, les enfoirés 25/02/2007

Filed under: canções de amor,cinema,France — jacky @ 5:55 pm

Quem me ajuda a identificar os filmes dos beijos deste videoclip?

Letra

  1. Titanic
  2. ?
  3. Moulin Rouge
  4. Romeu e Julieta
  5. ?
  6. Tarzan
  7. A Paixão de Shakespeare
  8. Casablanca
  9. ?
  10. ?
  11. ?
  12. ?
  13. Eduardo Mãos de Tesoura
  14. Ghost
  15. King Kong (versão moderna)
  16. Indiana Jones (qual deles?)
  17. Um longo Domingo de noivado
  18. Pretty woman
  19. ?
  20. Grease
  21. Léon, o profissional
  22. ?
  23. ?
  24. ?
  25. ?
  26. O estranho mundo de Jack
  27. Cleopátra
  28. O amante
  29. ?
  30. ?
  31. ET
  32. Pearl Harbor
  33. As aventuras do … rabbit ?
  34. ?
  35. ?
  36. ?
  37. ?
  38. Doidos por Mary
  39. O 5º elemento
  40. Forrest Gump
  41. A dama e o vagabundo
  42. Pinguins
  43. E tudo o vento levou
  44. ?
  45. Jean de Florette ou Manon des Sources?
  46. Piratas das Caraíbas II
  47. ?
  48. Asterix (qual deles?)
  49. ?
  50. Top Gun
  51. Guerra das Estrelas
  52. ? Um filme com o Coluche, o criador des Restos du Coeur, que já alimentaram milhares de pessoas em França.

Nos filmes que faltam identifiquei a Marilyn Monroe, a Brigitte Bardot, Audrey Hepburn, Catherine Deneuve, Isabelle Adjani, mas não sei em que filmes. Quem me ajuda a descobrir os títulos dos filmes que faltam na lista?

 

A dança, Pólo Norte 24/11/2006

Filed under: canções de amor,música — jacky @ 1:11 am

Chegaste de passos apertados
Os olhos embargados
Cheios de medos teus
Pediste que te levasse a mágoa
E que te tocasse a alma olhando para os meus
Apertei-te contra o peito, num abraço perfeito

A rua como companhia
Às vezes escura e fria
Dura realidade
Ninguém olha pra ti
Com olhos de gente
Até mesmo indiferente
A quem és de verdade

Esquece o teu mundo lá fora
É hora de ir dançar

Esta noite dança só pra mim
Que esta dança nunca tenha fim
São asas que me dás
Levam alto para longe

Esquece o teu mundo lá fora
É hora de ir dançar

E esta noite dança só pra mim
Que esta dança nunca tenha fim
São asas que me dás
Levam alto para longe

até de mim…

 

Fácil de entender, The Gift 09/11/2006

Filed under: canções de amor — jacky @ 9:24 am

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Talvez por saber o que não será melhor, Aproximei
Meu corpo é o teu corpo o desejo entregue a nós
Sei lá eu o que queres dizer, Despedir-me de ti
Adeus um dia voltarei a ser feliz

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei, o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

Talvez por não saber falar de cor, Imaginei
Triste é o virar de costas, o último adeus
Sabe Deus o que quero dizer

Obrigado por saberes cuidar de mim,
Tratar de mim, olhar para mim, escutar quem sou,
e se ao menos tudo fosse igual a ti

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender

É o amor, que chega ao fim,
um final assim,assim é mais fácil de entender

Eu já não sei se sei o que é sentir o teu amor,
não sei o que é sentir, se por falar falei
Pensei que se falasse era fácil de entender!

The gift

 

Aline, Christophe 08/11/2006

Filed under: canções de amor,saudosismos — jacky @ 10:24 am

Viva o You Tube! Ainda não era nascida quando esta canção foi um sucesso no Verão de 1965. Nunca tinha visto o videoclip a preto e branco e adorei! Ainda assim, esta sonoridade faz completamente parte da minha infância.

J’avais dessiné sur le sable
Son doux visage qui me souriait
Puis il a plu sur cette plage
Dans cet orage, elle a disparu

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine

Je me suis assis près de son âme
Mais la belle dame s’était enfuie
Je l’ai cherchée sans plus y croire
Et sans un espoir, pour me guider

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine

Je n’ai gardé que ce doux visage
Comme une épave sur le sable mouillé

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine

Et j’ai crié, crié, Aline, pour qu’elle revienne
Et j’ai pleuré, pleuré, oh! j’avais trop de peine…

(Algum cota saudosista quer tradução?)

 

João Monge & Vozes da Rádio 05/11/2006

Filed under: canções de amor — jacky @ 3:08 pm

Mudo tudo (letra de João Monge e Música de Jorge Prendas)

Por ti mudo a minha vida

Jogo tudo num saco

Mudo a marca de tabaco

Ponho uma saia garrida

Como um bêbado escocês

Para ver se tu me vês

Quando passas distraída

Por ti mudo o meu futuro

Meu nome, minha rubrica

Deixo de ser do Benfica

Viro para verde escuro

Como só de garfo e faca

Até viro a casaca

E escrevo tudo num muro

Por ti mudo até de umbigo

Mudo a pele que eu habito

Posso até ficar bonito

Doce como Dom Rodrigo

Basta que não mudes nada

Que mudes só de morada

E venhas morar comigo

 

Comprei o álbum Mulheres dos Vozes da Rádio no final do Verão e quanto mais o ouço, mais gosto dele. A canção nº 10 continua a ser a minha favorita. O violoncelo tem muitas culpas no cartório. Quanto à letra, era capaz de estar horas a dissertar sobre ela, de dizer ao João Monge obrigada por sentir tão profundamente as mulheres da sua vida. É invulgar um homem compreender-nos assim tão bem, de manusear as palavras de forma a nos fazer sentir felizes por sermos mulheres, por sermos femininas. Queria dizer ao João Monge para continuar a escrever sobre nós, sobre os afectos que se partilham, sobre o amor que transforma o ser humano porque, num mundo cada vez mais narcísico e consumista, estas canções fazem a diferença, toda a diferença. Fazem-nos acreditar em nós, fazem-nos acreditar no amor.

Quanto a ti, Joca, que dizes ser compositor e não intérprete, queria dizer-te que cantas esta canção com tanta sensibilidade, que conseguiste moldar as palavras na tua voz, que qualquer mulher que te ouça a cantar esta letra, ficará com vontade de ir morar contigo, porque acreditará piamente no amor contido nesta canção, nesse amor que os homens cada vez menos sentem, esse amor transformador do um «eu narcísico» para um «nós partilhado», um amor não descartável, um amor que resiste ao tempo e às agruras da vida.

Obrigada, João Monge & Vozes da Rádio por esta canção!

 

I wish you were here, Pink Floyd 04/11/2006

Filed under: canções de amor — jacky @ 2:51 am

So, so you think you can tell

Heaven from Hell,
blue skies from pain.
Can you tell a green field

from a cold steel rail?
A smile from a veil?
Do you think you can tell?
And did they get you to trade

your heroes for ghosts?
Hot ashes for trees?
Hot air for a cool breeze?
Cold comfort for change?
And did you exchange

a walk on part in the war

for a lead role in a cage?


How I wish, how I wish you were here.
We’re just two lost souls swimming in a fish bowl,

year after year,
Running over the same old ground.
What have we found? The same old fears.
Wish you were here.

 

Savoir aimer, Florent Pagny 08/10/2006

Filed under: canções de amor,France,música — jacky @ 11:41 am

Gosto de certos artistas que de vez em quando se lembram das minorias, neste caso, Florent pagny canta também esta música em língua gestual. Eis um exemplo a seguir!

Savoir sourire,
À une inconnue qui passe,
N’en garder aucune trace,
Sinon celle du plaisir
Savoir aimer
Sans rien attendre en retour,
Ni égard, ni grand amour,
Pas même l’espoir d’être aimé,

{Refrain:}
Mais savoir donner,
Donner sans reprendre,
Ne rien faire qu’apprendre
Apprendre à aimer,
Aimer sans attendre,
Aimer à tout prendre,
Apprendre à sourire,
Rien que pour le geste,
Sans vouloir le reste
Et apprendre à Vivre
Et s’en aller.

Savoir attendre,
Goûter à ce plein bonheur
Qu’on vous donne comme par erreur,
Tant on ne l’attendait plus.
Se voir y croire
pour tromper la peur du vide
Ancrée comme autant de rides
Qui ternissent les miroirs

{Refrain}

Savoir souffrir
En silence, sans murmure,
Ni défense ni armure
Souffrir à vouloir mourir
Et se relever
Comme on renaît de ses cendres,
Avec tant d’amour à revendre
Qu’on tire un trait sur le passé.

{Refrain}

Apprendre à rêver
À rêver pour deux,
Rien qu’en fermant les yeux,
Et savoir donner
Donner sans rature
Ni demi-mesure
Apprendre à rester.
Vouloir jusqu’au bout
Rester malgré tout,
Apprendre à aimer,
Et s’en aller,
Et s’en aller…

 

On n’oublie jamais rien, on vit avec – Hélène Ségara & Laura Pausini 22/09/2006

Filed under: canções de amor,France,música — jacky @ 9:17 am

Era bom que certas memórias guardadas em gavetas do passado se apagassem para não voltarem a sair do armário da memória, ou talvez não, porque aprendemos com as experiências, crescemos graças a certas dores e tornamo-nos melhores. Não se deve esquecer nada, apenas aprender a viver com tudo…

Ce n’est jamais qu’une histoire
Comme celle de milliers de gens
Mais voilà c’est mon histoire
Et bien sûr c’est différent
On essaie, on croit pouvoir
Oublier avec le temps
On n’oublie jamais rien, on vit avec

Forse non sei stato mai
Il presente che vorrei
E sbagliavo a fare tuoi
Quei progetti solo miei
Ma ho imparato a dire no
All’illusione che ci sei
Per vivere il ricordo che ho di noi

On a plusieurs vies,
Mais une seule grande histoire de coeur
Quand l’amour s’enfuie,
Il n’y a jamais de vainqueur
Si on pouvait tout refaire,
Balayer nos erreurs
On n’oublie jamais rien, on vit avec

Per ogni viaggio che faro’
Per ogni abbraccio che darai
So ti mi proteggero’
Ma non mi dimentichero’ mai
Ho capito che si puo’
Dire voglio e non vorrei
Per vivere il ricordo che ho di noi

Je n’avais plus la patience
D’espérer juste un sourire
Notre avenir se brisait
Sur l’autel des souvenirs
J’attendais une autre chance
Je ne l’ai pas vue venir
On n’oublie jamais rien, on vit avec

On a plusieurs vies,
Mais une seule grande histoire de coeur
Quand l’amour s’enfuie,
Il n’y a jamais de vainqueur
Si on pouvait tout refaire,
Balayer nos erreurs
On n’oublie jamais rien, on vit avec

Quand tu lui disais “Je t’aime”
Tu entendais pour la vie
On n’oublie jamais rien
So che mi proteggero’
Ma non dimentichero’ mai
On n’oublie jamais rien
C’est toujours le même problème
On croit ce qu’on a envie
On n’oublie jamais rien, on vit avec

On a plusieurs vies,
Mais une seule grande histoire de coeur
Quand l’amour s’enfuie,
Il n’y a jamais de vainqueur
Si on pouvait tout refaire,
Balayer nos erreurs
On n’oublie jamais rien, on vit avec

Per vivere il ricordo che ho di noi
On n’oublie jamais rien, on vit avec…

 

Can’t fight this feeling, Reo Speedwagon 19/10/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 11:16 am


Chagall

I can’t fight this feeling any longer
And yet I’m still afraid to let it flow
What started out as friendship, has grown stronger
I only wish I had the strength to let it show

I tell myself that I can’t hold out forever
I said there is no reason for my fear
Cause I feel so secure when we’re together
You give my life direction
You make everything so clear

And even as I wander
I’m keeping you in sight
You’re a candle in the window
On a cold, dark winter’s night
And I’m getting closer than I ever thought I might

And I can’t fight this feeling anymore
I’ve forgotten what I started fighting for
It’s time to bring this ship into the shore
And throw away the oars, forever

Cause I can’t fight this feeling anymore
I’ve forgotten what I started fighting for
And if I have to crawl upon the floor
Come crashing through your door
Baby, I can’t fight this feeling anymore

My life has been such a whirlwind since I saw you
I’ve been running round in circles in my mind
And it always seems that I’m following you, girl
Cause you take me to the places that alone I’d never find

And even as I wander I’m keeping you in sight
You’re a candle in the window on a cold, dark winter’s night
And I’m getting closer than I ever thought I might

And I can’t fight this feeling anymore
I’ve forgotten what I started fighting for
It’s time to bring this ship into the shore
And throw away the oars, forever

Cause I can’t fight this feeling anymore
I’ve forgotten what I started fighting for
And if I have to crawl upon the floor
Come crushing through your door
Baby, I can’t fight this feeling anymore.

Mais uma das canções que ando a reviver com o Oceano Pacífico! Esta música já deve ter uns 20 anos…

E tu, alguma vez lutaste contra um amor nascente?

 

Nine million bicycles, Katie Melua 16/10/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 6:46 pm


Bracelet in Beijing, Jodi Cobb

There are nine million bicycles in Beijing
That’s a fact,
It’s a thing we can’t deny
Like the fact that I will love you till I die.

We are twelve billion light years from the edge,
That’s a guess,
No-one can ever say it’s true
But I know that I will always be with you.

I’m warmed by the fire of your love everyday
So don’t call me a liar,
Just believe everything that I say

There are six BILLION people in the world
More or less
and it makes me feel quite small
But you’re the one I love the most of all

[INTERLUDE]
We’re high on the wire
With the world in our sight
And I’ll never tire,
Of the love that you give me every night

There are nine million bicycles in Beijing
That’s a Fact,
it’s a thing we can’t deny
Like the fact that I will love you till I die

And there are nine million bicycles in Beijing
And you know that I will love you till I die!

Saiu um novo álbum da Katie Melua que se chama Piece by Piece e é tão delicioso quanto o Call of the Search.
Acho esta canção especialmente bonita por ser uma balada com um certo exotismo asiático. Ouvindo a suave voz desta miúda, dá mesmo vontade de se estar apaixonado(a)…

 

Nine million bicycles, Katie Melua

Filed under: canções de amor — jacky @ 6:46 pm


Bracelet in Beijing, Jodi Cobb

There are nine million bicycles in Beijing
That’s a fact,
It’s a thing we can’t deny
Like the fact that I will love you till I die.

We are twelve billion light years from the edge,
That’s a guess,
No-one can ever say it’s true
But I know that I will always be with you.

I’m warmed by the fire of your love everyday
So don’t call me a liar,
Just believe everything that I say

There are six BILLION people in the world
More or less
and it makes me feel quite small
But you’re the one I love the most of all

[INTERLUDE]
We’re high on the wire
With the world in our sight
And I’ll never tire,
Of the love that you give me every night

There are nine million bicycles in Beijing
That’s a Fact,
it’s a thing we can’t deny
Like the fact that I will love you till I die

And there are nine million bicycles in Beijing
And you know that I will love you till I die!

Saiu um novo álbum da Katie Melua que se chama Piece by Piece e é tão delicioso quanto o Call of the Search.
Acho esta canção especialmente bonita por ser uma balada com um certo exotismo asiático. Ouvindo a suave voz desta miúda, dá mesmo vontade de se estar apaixonado(a)…

 

Bedshaped, Keane 27/09/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 12:54 pm

bedtime.gif

Many’s the time I ran with you down
The rainy roads of our old town
Many the lives we lived in each day
And buried altogether
Don’t laugh at me
Don’t look away

You’ll follow me back
With the sun in your eyes
And on your own
Bedshaped
And legs of stone
You’ll knock on my door
And up we’ll go
In white light
I don’t think so
But what do I know?
What do I know?
I know!

I know you think I’m holding you down
And I’ve fallen by the wayside now
And I don’t understand the same things as you
But I do

Don’t laugh at me
Don’t look away

You’ll follow me back
With the sun in your eyes
And on your own
Bedshaped
And legs of stone
You’ll knock on my door
And up we’ll go
In white light
I don’t think so
But what do I know?
What do I know?
I know!

And up we’ll go
In white light
I don’t think so
But what do I know?
What do I know?
I know!

Esta canção entrou-me no ouvido. Fico sempre melancólica quando entra o Outono e o calor do Verão se esvai. Os dias ficam mais pequenos e sinto falta da luz. A sonoridade desta música e a letra encaixam bem com o meu estado de humor.
Como gosto de cantarolar as músicas que me entram no ouvido, fui buscar a letra ontem. Gosto de compreender o que leio e coomo não sabia o que quer dizer bedshaped fui procurar ao dicionário. Não encontrei nem nos bilingues nem nos unilingues. Perguntei aos meus amigos ingleses e disseram-me que a palavra não existe, que é uma metáfora. Traduzindo à letra quer dizer «ter forma de cama».

Ontem, em conversa com o Alegrão sobre a tradução de bedshaped, ele encontrou a explicação nesta entrevista! Obrigada!

A canção fala de um amor passado que não era correspondido na altura e que, passados muitos anos, se reencontram. Acho bonito o refrão quando ele diz que ela o vai seguir com o sol nos olhos. :)
Quem mais gosta desta canção?

 

Don’t leave my this way, The Communards 24/09/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 3:21 pm


Linda Lane

Don’t leave me this way
I can’t survive, I can’t stay alive
Without your love, oh baby
Don’t live me this way
I can’t exist, I will surely miss
Your tender kiss
So don’t leave me this way

Oh baby, my heart is full of love and
desire for you
So come on down and do what
you’ve got to do
Your started this fire down in my soul
Now can’t you see it’s burning, out of
control
So come on down and satisfy the
need in me
Cos only your good loving can set me
free

Don’t leave me this way
I don’t understand how I’m at your
command
So baby please don’t leave me this
way.

Don’t leave me this way
Cos I can’t exist
I will surely miss
Your tender kiss
So don’t leave me this way

Oh baby, my heart is full of love and
desire for you…

Don’t leave me this way
Cos I can’t survive, I can’t stay alive
Without your love, oh baby
Don’t live me this way
I can’t exist, I will surely miss
Your tender kiss
So don’t leave me this way

Oh baby, my heart is full of love and
desire for you..

Entrou o Outono e fiquei mais saudosista que o costume. Tenho andado a ouvir esta canção que eu adorava quando era adolescente! Quando vi pela primeira vez o videoclip fiquei toda baralhada porque a voz feminina era dum homem e a mais masculina duma mulher! :) Há assim vozes que à primeira vista enganam. Nunca te aconteceu?
Também quando ouvi a primeira vez músicas do Kenny G, convenci-me que ele era negro. Quando comprei o CD não queria crer que aquele loiro de longos cabelos encaracolados era ele! Enfim, preconceitos que iludem a mente…

E tu, costumas criar imagens mentais de pessoas que desconheces, de cantores ou músicos, de vozes que nunca viste? Queres contar alguma situação em que estavas redondamente enganado(a)?

 

Tudo o que te dou, Pedro Abrunhosa 15/09/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 9:40 am


Mick Payton

Eu não sei, que mais posso ser
um dia rei, outro dia sem comer
por vezes forte, coragem de leão
às vezes, fraco assim é o coração
eu não sei, que mais te posso dar
um dia jóias; noutro dia o luar,
gritos de dor, gritos de prazer
que um homem também chora
quando assim tem de ser.

Foram tantas as noites
sem dormir,
tantos quartos de hotel
amar é partir…
promessas perdidas
escritas no ar
e logo ali eu sei…

Tudo o que eu te dou
tu me dás a mim
tudo o que eu sonhei
tu serás assim
tudo o que eu te dou
tu me dás a mim
tudo o que eu te dou

Sentado na poltrona, beijas-me a pele morena
fazes aqueles truques que, aprendeste no cinema
Mais! peço-te eu, já me sinto a viajar
pára, recomeça e faz-me acreditar

Não, dizes tu, e o teu olhar mentiu,
enrolados pelo chão no abraço que se viu
é madrugada ou é alucinação,
estrelas de mil cores, extasy ou paixão
hum, esse odor, traz tanta saudade
mata-me de amor, dá-me liberdade
deixa-me voar, cantar e adormecer

Tudo o que eu te dou
tu me dás a mim
tudo o que eu sonhei
tu serás assim
tudo o que eu te dou
tu me dás a mim
tudo o que eu te dou

Apesar do Pedro Abrunhosa não ter grande voz, continuo a achar que esta é uma das mais bonitas canções de amor portuguesa que já ouvi, bem melancólica como eu gosto…
E tu, quais são as tuas canções de amor portuguesas que mais gostas?

 

Take my breath away, Berlin 13/09/2005

Filed under: canções de amor — jacky @ 12:00 pm

Watching every motion in my foolish lover’s game
On this endless ocean finally lovers know no shame
Turning and returning to some secret place inside
Watching in slow motion as you turn around and say
My love

Take my breath away
Take my breath away

Watching I keep waiting still anticipating love
Never hesitating to become the fated ones
Turning and returning to some secret place to hide
Watching in slow motion as you turn to me and say,

My Love,
Take my breath away

Through the hourglass I saw you, in time you slipped away
When the mirror crashed I called you, and turned to hear you say
If only for today I am unafraid

Take my breath away
Take my breath away

Watching every motion in this foolish lover’s game
Haunted by the notion somewhere there’s a love in flames
Turning and returning to some secret place inside
Watching in slow motion as you turn my way and say

Take my breath away,
My Love
Take my breath away
My Love
Take my breath away
Take my breath away

Esta balada era da banda sonora do filme Top Gun, com o Tom Cruise e a Kelly McGillis. Ele era um piloto de aviões rebelde irresistível e ela a professora boazona! O grupo que interpretava esta música chamava-se Berlin e a vocalista tinha o cabelo pintado loiro para cima e preto a partir do meio! :D
Bolas, estou mesmo a ficar uma cota saudosista! O filme é de 1986 e já tem quase 20 anos!!! O_ó
E tu, lembras-te desta música, ó cota? ;)

 

 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 56 outros seguidores